Jurassic Park é mais feminista do que eu pensava


Isto não é uma resenha nem nada que se pareça, aliás, este deve ser dos primeiros posts em milénios que se encaixa no propósito do blog: posts sem enrolação e sem falar da minha vida pessoal, curtinhos e centrados num assunto só. Eu e a minha irmã vimos mais ou menos recentemente os 3 primeiros filmes de Jurassic Park, e ficamos surpreendidas com a quantidade de valores feministas por parte de TODAS as personagens, não só mulheres sequer. Eu não vi o mais recente porque ouvi dizer que é uma treta - tanto pela trama quanto pelo feminismo - e a minha irmã confirmou. Sei que foi mais fácil ver os anteriores do que eu esperava - afinal, filmes antigos (o primeiro é de 1993) podem ter uma qualidade técnica bastante razoável. Mas pronto, eu vim só analisar o feminismo nos filmes:


A trama dos 3 é basicamente sempre a mesma: Cientistas e paleontólogos são convidados para ir a um parque de dinossauros que foram recriados graças a um homenzinho rico com uma equipa de cientistas grande e pouca consciência dos riscos, entretanto no segundo filme foi tomada a decisão de deixar os dinossauros em liberdade na ilha pois eles não tinham como sair de lá, e no terceiro descobre-se que há uma outra ilha de dinossauros. As 3 personagens mais marcantes do primeiro filme são o Dr. Alan Grant, a Dr. Ellie Sattler, e o Dr. Ian Malcolm - sendo que o Ian reaparece no segundo filme e os outros dois reaparecem no terceiro. Também há sempre criancinhas badass, diferentes em todos os filmes.


Pérolas do 1º filme:
  • É o Alan que, mesmo não gostando de crianças, acaba separado dos outros e a tomar conta delas durante a trama, e até desenvolve um certo afeto por crianças depois disso.
  • A Ellie que protagoniza várias cenas de ação e até diz ao dono do parque que poderiam discutir sexismo noutra altura quando ele sugere que, por ser homem, deveria ser ele a tomar um certo risco.
  • Com exceção do dono do parque (vou chamar-lhe tio rico), nenhum homem encara as personagens femininas nem como menos nem como alvo de cortesia, não há qualquer diferença de tratamento.
  • A Ellie, tal como esperado de uma mulher da ciência, não se veste à bárbie enquanto está em trabalho - aliás, durante todo o filme usa roupas práticas e quer tanto cuidar dos dinossauros que até procura a causa da doença de um nas suas fezes. 
  • Embora seja óbvio que há um interesse romântico entre Alan e Ellie, eles têm jornadas independentes e nenhum existe com o único propósito de servir de alavanca para o desenvolvimento do outro.
  • Apesar de super feminista e tal, a Ellie não cai na trope de "feminazi" que não quer ter filhos - e que num filme provavelmente acabaria por ter de qualquer maneira. Pelo contrário, ela não hesita em afirmar que quer crianças, mostrando que uma coisa não anula a outra. 
  • A rapariga (criança), Murphy ou lá o que é, também é bastante competente, de uma maneira distinta da Ellie - o que prova que força não se mede sempre pelos mesmos atributos - pois apesar de medrosa, ela é hacker e consegue pôr os computadores a funcionar a tempo de salvar toda a gente.
  • A Lex Murphy também é vegetariana, e embora isto seja provavelmente uma coincidência, há grupinhos feministas que fazem questão de ser vegetarianos.
  • Os irmãos podem estar sempre a implicar um com o outro, suportam-se devidamente e nenhum se destaca em relação ao outro, apesar de terem capacidades distintas.
  • O rapazinho, apesar de ser corajoso, teve medo de saltar de uma vedação e, tendo demorado demasiado, foi eletrocutado. Isto não tem nada a ver com feminismo propriamente, mas o Alan para ver se o salvava faz-lhe respiração boca a boca e não só me admira um filme da altura ter uma cena dessas entre 1) dois homens 2) adulto e criança, como não deu nenhuma aura de abuso a isso. Bónus? Aposto que irritaria TERFS e antis xd
  • Todos os dinossauros são fêmeas, pois foi a medida que os cientistas do parque tomaram para evitar a reprodução. Há quem aponte isso como outro detalhe (acidental?) feminista, pois é raro que "fêmeas" tenham um papel de antagonista que denote força e inspire medo.

Pérolas do 2º
  • A rapariguinha negra filha do Ian, Kelly, é bastante doce e até faz ginástica acrobática, que de vários desportos possíveis até é bastante delicado. E é corajosa e sabe usar a ginástica para sua vantagem.
  • O Ian já teve várias mulheres e ninguém se parece importar com isso. E a mulher atual dele dá-se bastante bem com a rapariguinha negra, apesar de claramente ser filha de outra. Isso também faz o filme passar na Bechdel Rule com facilidade, para além de que em vários momentos as duas fazem uma dupla incrível.
  • A mulher do Ian, Sarah, é das pessoas mais competentes do grupo e tem uma grande empatia. Mesmo sabendo dos riscos, insiste em tratar uma cria de dinossauro ferida por um grupo que os andava a tentar caçar. Talvez algumas pessoas apontassem sentimentos como fraqueza, mas eu recuso-me a fazê-lo.
  • Aqui os dinossauros já não são todos fêmeas, e o tipo que quer caçar dinossauros quer como demonstração principal precisamente um macho. Suponho que isto pode ser interpretado de várias maneiras, mas o facto de o vilão da história estar obcecado com a ideia de macho=forte é uma maneira menor de condenar o machismo.

Pérolas do 3º
  • A Ellie decidiu ser dona de casa por conta própria e está casada e teve um filho com outro homem, mas continuou a dar-se bem com o Alan e ambos confiam imenso um no outro. O marido dela também respeita a sua amizade com o Alan, não tendo ciúmes
  • O Alan volta a dar-se bem com miúdos xd
  • A Ellie é quem socorre o Alan enviando uma equipa gigante de socorro até mesmo com pessoal do exército. Ela sabe o que faz ^^
  • Há um casal separado na história que se decide unir e elaborar um estratagema para ir a uma ilha de dinossauros para salvar o filho. O melhor de tudo é que superam o facto de que não se davam bem, além disso, mesmo que em certas alturas pareça haver um clima romântico entre os dois, não se voltam a apaixonar nem nada.
  • A mãe do filho perdido, Amanda Kirby, não tem grande papel a não ser, tal como o ex-marido, enganar o Alan e gritar de medo - fora que sofre do [princípio da Smurfette]. Contudo, no final, vou conceder que o papel dela se redimiu um bocado, pois foi ela que entregou os ovos ao dinossauro.

E pronto, era isso, só uma listinha simples de coisas feministas nos filmes. Caso alguém esteja interessado, aqui análises de como o quarto filme (Jurassic World, que nem é bem continuação e sim um stand-alone, ou pelo menos ignora os filmes 2 e 3) foi desapontante em termos de feminismo: www www. E aqui algumas tropes sexistas cometidas: www

Caso estejam curioses, daqui por duas semanas a minha faculdade vai começar, as aulas vão ser todas à tarde, o que eu detesto. O meu tempo para postar provavelmente será bem menor... Já agora, também estou a pensar em migrar o meu tumblr lgbt+ para um blog, e usar o tumblr, entre outras redes sociais, só mesmo para divulgar os posts, para aesthetics e reblogar assuntos relacionados - assim como criar um sistema parecido para facebook, twitter, pinterest e afims. É altamente improvável que eu vá conseguir fazer o meu projetinho crescer este ano, mas eu gostava de pelo menos ter uma organização que potenciasse isso. E gostava de me meter também com coisas como mídia kit e tal... Ai, tenho demasiadas ideias >.<

Comentar com: ou

Sem comentários: